Aquele lado de mim, que também pode estar dentro de cada um de vós(nós).
 
InícioFAQCalendárioGaleriaBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Castanheira de Pera
Dom Maio 26, 2013 5:07 am por JPais

» Bairrada e cogumelos com Jose Porvinho
Qua Nov 14, 2012 12:44 pm por JPais

» Jose Porvinho Convida :
Qua Nov 14, 2012 12:22 pm por JPais

» O Mundo dos cogumelos com Jose Porvinho
Qua Nov 14, 2012 12:10 pm por JPais

» O Mundo dos Cogumelos
Qui Jan 26, 2012 8:20 am por JPais

» Aidos da Vila - O Mundo dos Cogumelos
Seg Jan 02, 2012 10:33 am por JPais

» Leitão à Bairrada - Maravilha de Portugal
Ter Ago 23, 2011 2:44 pm por JPais

» Amostra aleatória
Seg Ago 01, 2011 4:58 pm por José Porvinho

» ANO INTERNACIONAL DA BIODIVERSIDADE
Ter Jun 21, 2011 1:56 pm por José Porvinho

2010
Volte sempre!
Portugal
Visitantes
litterature
PT
Social bookmarking
Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de José Porvinho em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de José Porvinho em seu site de social bookmarking

Compartilhe | 
 

 3 Agosto - Crises

Ir em baixo 
AutorMensagem
José Porvinho
Owner
Owner
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 216
Idade : 54
Emprego/lazer : Eng.Florestal/escritor/técnico
Localização : Castanheira de Pera/Bairrada
Data de inscrição : 26/11/2008
Sociavel : 10
Pontos : 3951

MensagemAssunto: 3 Agosto - Crises   Ter Dez 09, 2008 9:28 pm

CRISES

Dizia-se que o mal do país; com o agravamento da crise nacional, de ano para ano, vinha desde que o Benfica tinha sido a última vez campeão nacional (1993/1994).

Pois é, a partir daí, tem sido sempre a descer.

Para não dizer, a afundar a nau nacional em termos financeiros.

A derreter a nossa viabilidade económica, com a crise a deixar mazelas, em todos os bolsos.
Terá sido mera coincidência, ou de facto, consoante se ia agudizando a crise no Benfica, também o país, lhe ia seguindo paulatinamente as pisadas. Com insucessos sucessivos a abundarem, com desmotivações e pessimismos à mistura, com ilusões e enganos permanentes; mas... a perderem capacidade concretizadora, a desbaratarem património, a darem cabo do bom nome, a banalizarem funções e objectivos, e depois, claro... na tesura!
Com o passar dos anos, a angústia benfiquista foi crescendo, o desnorte foi quase duplamente completo, e até a própria esperança ia esmorecendo. Também o país ia sem vento para tanta popa, arremedando o Benfica e assumindo finalmente a crise instalada. E tentaram explicar e voltaram a enganar-nos; mas ela, tal qual as derrotas benfiquistas, também já era dolorosamente sentida.
Começava-se a dizer (a brincar, é claro), que só quando o Benfica voltasse a ser campeão, é que finalmente voltava a sentir aquela alegria e a motivação suficiente, para começar-mos a dar a volta à crise. Pois, só aí é que teríamos a tão apregoada e desejada retoma. E passava-se mesmo à explicação: pois se a rentabilidade do nosso trabalho, era assim... a modos... como que... muito aquém (e pelos vistos, continua a ser); isso seria, porque sendo a maior parte do país benfiquista e que andavam todos demasiado em baixo e suficientemente deprimidos e tristonhos, para fazerem algo a mais e melhor. Como tal, …
Até que finalmente, o SLB começa a recuperar e a empolgar-se e a redimir-se e a acreditar e zás:

O S. L. Benfica é campeão.
- “Campeões, campeões, campeões…”


O campeonato, como nunca antes acontecera, foi espectacularmente atípico. Parece mesmo, que todos os clubes estiveram em crise; e assim, com todo o mérito, o Benfica foi o justo campeão – também era o que já estava mais habituado a saber lidar com tais situações!


O momento à tanto ansiado, chegou.


A euforia, os festejos, a alegria foi apoteótica e durou, durou... bem noite dentro. Até às tantas. Até às quinhentas mesmo!
Quando surpresa das surpresas e pela plena calada da manhã daquela 2ª feira, de um maravilhoso rescaldo de tão apetecida, como de difícil e saborosa vitória; eis que o governo, diz-nos tão só, que a crise mais que real, é muito mais grave e que iremos, sofrer mais e durante muito mais tempo, a começar já hoje, com a aplicação de uma série de medidas, tão sérias como difíceis.
Como tal, a seguir à euforia transbordante, e com muitos ainda a dormir e outros, meio anestesiados dos exageros nocturnos; levaram à socapa, para não dizer: à falsa fé, com o aumento do IVA e necessariamente, com o poder de compra e a qualidade de vida a descer. Despertamos todos de repente – muito de repente, mesmo à bruta, pode-se dizer – acordados de um maravilhoso e extraordinário sonho, para caírem no grande pesadelo do nosso dia-a-dia.
Foi, de facto, de muito mau tom o que fizeram. Isso, não se faz! Acho mesmo, que aproveitaram a euforia reinante, gozando de alguma distracção e da letargia semi-geral, para a prossecução dos seus fins. Ao menos, podiam ter adiado uma semana, para que todos os benfiquistas pudessem ter essa semana de gozo e de deslumbramento.

E de poderem acreditar naquele seu velho sonho, de que o país também começaria a ultrapassar a crise, quando o Benfica finalmente fosse campeão. E zás, destroçaram assim, num ápice, esse sonho de tantos e com tantos anos de espera. Isso, de facto, não se faz!
Mas não – tem que ser já hoje, quanto mais depressa melhor. É já pela manhã, que as notícias e novas medidas têm que ser anunciadas. Assim, já todos vão ouvir as notícias do dia, bem misturadinhas – as más, com as boas, todas quentes e novas.
Não há direito! E pronto, lá se deu cabo do possível astral positivo, logo à nascença. Não se faz, de facto!
Volvidos mais uns tempinhos e lá foi, o tal ministro da tal medida “à vida”; ou melhor, à sua melhor vida, pois aquela não estava nada fácil. Mas, pelo menos pareceu ser mais coerente e com alguns princípios. Depois, é logo substituído por outro ainda mais competente; ou talvez, mais competentemente subserviente. E o povo, é que leva, como sempre, com o revés das desgraças e com as favas, ainda por cima.

Coitados de nós!
E sem a menor perda de tempo – no timing certo, mais uma vez – “inteligentemente”, distraem-nos com possíveis candidaturas presidenciais. E pronto, é o que temos! E temos isto hoje, mas também o que é que poderemos esperar para amanhã? Quais serão os próximos fair-divers? Porventura, têm que os criar! É que agora, também ainda só vamos na pré-época futebolística, sem termos ainda derrotas e vitórias, para nos entreter a atenção e nos distrair das “desgovernices” mais do que constantes.
Aparentemente, a crise do Benfica até está a ir no melhor caminho. E a outra? A do nosso país? Para quando a sua reviravolta? Quando é que nos podemos orgulhar da sua debelação?


É agora. Tem que ser. Força pessoal!
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.joseporvinho.net
 
3 Agosto - Crises
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Observação do Mar das Crises.
» Crises nervosas
» resultado do exame medico do dia 5 de agosto
» Alinhamento dos planetas - final de agosto de 2016
» pesquisa social da 8 convocação.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
José Porvinho :: José Porvinho :: "Sem Papas na Língua"-
Ir para: