Aquele lado de mim, que também pode estar dentro de cada um de vós(nós).
 
InícioFAQCalendárioGaleriaBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Castanheira de Pera
Dom Maio 26, 2013 5:07 am por JPais

» Bairrada e cogumelos com Jose Porvinho
Qua Nov 14, 2012 12:44 pm por JPais

» Jose Porvinho Convida :
Qua Nov 14, 2012 12:22 pm por JPais

» O Mundo dos cogumelos com Jose Porvinho
Qua Nov 14, 2012 12:10 pm por JPais

» O Mundo dos Cogumelos
Qui Jan 26, 2012 8:20 am por JPais

» Aidos da Vila - O Mundo dos Cogumelos
Seg Jan 02, 2012 10:33 am por JPais

» Leitão à Bairrada - Maravilha de Portugal
Ter Ago 23, 2011 2:44 pm por JPais

» Amostra aleatória
Seg Ago 01, 2011 4:58 pm por José Porvinho

» ANO INTERNACIONAL DA BIODIVERSIDADE
Ter Jun 21, 2011 1:56 pm por José Porvinho

2010
Volte sempre!
Portugal
Visitantes
litterature
PT
Social bookmarking
Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de José Porvinho em seu site de social bookmarking

Conservar e compartilhar o endereço de José Porvinho em seu site de social bookmarking

Compartilhe | 
 

 Carreiro de Formigas - José Porvinho

Ir em baixo 
AutorMensagem
José Porvinho
Owner
Owner
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 216
Idade : 54
Emprego/lazer : Eng.Florestal/escritor/técnico
Localização : Castanheira de Pera/Bairrada
Data de inscrição : 26/11/2008
Sociavel : 10
Pontos : 3951

MensagemAssunto: Carreiro de Formigas - José Porvinho   Ter Ago 11, 2009 6:01 pm

CARREIRO DE FORMIGAS


Aquele tronco caído ao fundo do jardim, à sombra e cheio de musgo era o seu assento predilecto.
Era ali que gostava de descansar e de observar todos os naturais movimentos (ou não) por todo o espaço envolvente. Uma beleza de sons, uma riqueza de formas de vida, um restaurador emocional e um reequilibrador psíquico fantástico, um apaziguador estrutural nestes seus reencontros com toda aquela aparente calmaria.
Aquele “banco de jardim” era perfeito e era um convite permanente e aliciante à serenidade e ao melhor desenvolvimento de qualquer pensamento (livre). O pensamento ali parece que ganhava mais asas e o corpo outra dimensão. Ali, sentado, ele sentia o tempo parado. Ali e assim, ele também sentia que não precisava de mais nada. Estava bem. Perfeito... o momento, naquele seu prazer contemplativo.
A passarada devia-lhe ter sentido os passos e não dava sinais de si. Deviam ter ido dar uma volta ou então também estariam descansadamente a observar a vida. Também o sol ainda ia muito alto, o que ajuda a refrear os ânimos.
Pausadamente reparava na copa das árvores que o protegiam do sol e no leve movimento de umas folhitas ali e depois de outras acolá, para de seguida serem todas varridas por uma brisa passageira. Até parece que aquela brisa que não se tinha repetido, tinha vindo só para o cumprimentar.
Deitou-se sobre o tronco e deixou-se ficar. Oh, como em contra-luz todos os brilhos, contornos, sombras e contrastes são ainda mais maravilhosos.
Lá está ele, o pisco-de-peito-ruivo, como que a desafiá-lo para a cantoria ou estaria a querer mesmo comunicar com ele? Conheciam-se já há muito. Consideravam-se velhos e bons amigos, numa escala temporário apropriada aos dois seres em questão. De há dois anos para cá, a sua relação era afectiva e efectiva. Efectivamente... gostavam um do outro. Ele achava mesmo que o pisco o tinha adoptado e sentia-se por isso mesmo, um privilegiado – e era para se sentir! Por vezes, tentava ir imitando os sons variáveis de estrofe para estrofe que o pisco lhe dirigia, num cantar ao desafio muito medíocre de sua parte. Com o tempo a sua afinação ia melhorando, mas mesmo assim incapaz de o arremedar. Mas lá se entendiam e divertiam na “conversa”.
Entretanto, começou a reparar nos insectos que “habitam os ares” e que vivem a vários estratos; desde o chão às partes mais altas das árvores, entre ervas, arbustos, troncos, flores e copas. De vez em quando, ele conseguia distanciar o olhar, aprofundando-o sobre certos pontos, vendo até ao invisível. Ele conseguia entrar nesses momentos nos recantos mais fundos e distinguir muito mais vida.
Encantadoras todas as diferentes formas de vida em todas as suas diferentes afirmações e especializações.
Continuou relaxando, agora na companhia da mais variada passarada que passava e que por ali permanecia, vendo nele simplesmente mais um habitante e bom vizinho desse seu espaço comum.
Enquanto assim se mantinha, começou a sentir na mão e pelo braço acima algo que lhe desviou a atenção... eram formigas. Formigas no carreiro. Formigas num novo carreiro. Ele, pelos vistos tinha-lhes interrompido o carreiro, mas elas dão a volta à situação na maior e sem perderem tempo. E lá iam atarefadas e motivadas - como sempre - a traçar um novo rumo, a ultrapassarem mais aquele obstáculo, como se nada fosse. “É, haveríamos de ser como elas”, raciocinava ele.
Sentia-se tão bem ali e sobretudo naquele instante em que as formigas já o não viam como um corpo estranho. Sentia-se como fazendo parte integrante do jardim. Como um seu elemento estrutural. Como mais um seu habitante. E ali permaneceu assim... estarrecido e feliz, até que a luz do dia deu lugar à noite.

_________________
José Porvinho (José Pais)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.joseporvinho.net
José Porvinho
Owner
Owner
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 216
Idade : 54
Emprego/lazer : Eng.Florestal/escritor/técnico
Localização : Castanheira de Pera/Bairrada
Data de inscrição : 26/11/2008
Sociavel : 10
Pontos : 3951

MensagemAssunto: Re: Carreiro de Formigas - José Porvinho   Ter Ago 11, 2009 6:06 pm

Crónica publicada na Revista mensal: "Mundo das Plantas e da Jardinagem". Está nas bancas aproveite.
P.S. Vem assinada por José Pais

Já agora, convido todos os amantes da Natureza e amigos do José Porvinho e da sua escrita, a fazerem uma visita ao seu jardim.

Beijos e Abraços

_________________
José Porvinho (José Pais)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.joseporvinho.net
José Porvinho
Owner
Owner
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 216
Idade : 54
Emprego/lazer : Eng.Florestal/escritor/técnico
Localização : Castanheira de Pera/Bairrada
Data de inscrição : 26/11/2008
Sociavel : 10
Pontos : 3951

MensagemAssunto: Re: Carreiro de Formigas - José Porvinho   Ter Ago 11, 2009 6:09 pm

Também nas bancas neste momento está a Revista: "Tudo Sobre Jardins", onde vem a notícia da publicação do meu livro.
A Revista aconselha e eu (claro)... recomendo.

Até

_________________
José Porvinho (José Pais)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.joseporvinho.net
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Carreiro de Formigas - José Porvinho   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Carreiro de Formigas - José Porvinho
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Trabalho em equipe:. Formigas, união, amizade, trabalho.
» Nina e José estão sentados em cadeiras, diame
» FALTA DE RESPEITO JOSÉ MIGUEL TRIGOSO PRP A EXTINÇÃO DA BT
» Cinemática - Formigas e fonte de alimentos
» Kit Gay e outras calamidades do Secularismo

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
José Porvinho :: José Porvinho :: Natureza-
Ir para: